Martha Martyres

Martha Martyres

Radialista, diretora da rádio Penedo FM, âncora do jornalismo no Programa Lance Livre

Postado em 11/09/2009 15:13

Me arrende!

Nos últimos dias, só reclamações por parte dos prefeitos alagoanos. Segundo eles, não tem dinheiro para nada e a ordem é cortar gastos.
Tem prefeito que determinou  cortes de  20, 30, 50, até 70% das despesas das secretarias municipais, o que significa, trocando em miúdos: pare tudo e passe a chave, ou o último a sair apague a luz.
O que não se ouviu  até agora foi ordem para demitir os apadrinhados que estão pendurados nas prefeituras e que até são motivo de piada nas secretarias, uma vez que tem mais comissionado no dia a dia desses órgãos do que contribuintes procurando um serviço público.
Os cargos comissionados existem, são uma realidade e são necessários dentro do sistema político-partidário-administrativo. Uma realidade, aliás, impossível de mudar. É a lei do velho dito popular: uma mão lava a outra e as duas juntas lavam a cara.
Muitas pessoas, assim admitidas para prestar serviço nas administrações, são dedicadas, eficientes e realizam grandes projetos em prol da comunidade. O problema, no entanto, é a nomeação de gente incompetente, desqualificada e que não tem nenhuma utilidade dentro da estrutura dos municípios. Nomeações feitas com um único objetivo: pagar, eu disse pagar, com dinheiro público, serviços prestados nas campanhas eleitorais e até mesmo na cozinha dos eleitos.
Vergonhosa também é a criação de estruturas na capital do estado para abrigar gente que, além de não ter nenhuma utilidade para a cidade, não tem nenhum compromisso ou ligação, chegando mesmo a dizer que odeiam as cidades e os contribuintes que lhes pagam o salário.
Isso, sem falar na exorbitante quantidade e no preço dos carros locados, nas festas promovidas com dinheiro público, dos anéis de brilhante comprados e pagos com o dinheiro dos pagadores de impostos, os potes de creme da Lâcome e a descarada utilização do erário para promoção pessoal e estruturação da próxima campanha (há sempre uma próxima campanha!).

Todos reclamam, mas ninguém quer largar as “falidas prefeituras”.
Outro dia ouvi um contumaz comissionado de prefeituras dizer: “Quem achar que prefeitura é ruim, me arrende. Eu pago três vezes o valor do salário do prefeito e tomo conta.”
Esse parece que sabe o que diz!
 

Comentários comentar agora ❯

  • José de Arimatéia Eu pago 4 vezes o salário! Quem dá mais?
  • Raimundo Gomes Martha, parabéns pelo artigo! Se o serviço público fosse administrado com seriedade, não faltariam recursos para os serviços essenciais (saúde, educação, saneamento básico, segurança e moradia). Infelizmente, são raros ou inexistentes os gestores públicos que levam a sério a administração de um município ou mesmo de um estado. Infelizmente, esta é uma realidade que vivemos não só em Alagoas mas em todo o Brasil.