28 Abril 2021 - 08:41

Justiça decreta prisão preventiva de policial militar acusado de espancar a esposa em Porto Real do Colégio

Divulgação
Fórum da Comarca de Porto Real do Colégio

O juiz Vinícius Garcia Modesto, titular da Vara do Único Ofício de Porto Real do Colégio, homologou nesta terça-feira, 27 de abril, o auto de prisão em flagrante e decretou a prisão preventiva de um policial militar de Pernambuco preso na última segunda, 26, acusado de lesão corporal com base na Lei Maria da Penha.

De acordo com as informações colhidas por nossa redação, o militar, que devido a nova lei do abuso de autoridade não pode ter o nome revelado, foi preso logo após sua companheira denunciar que havia sido agredida pelo mesmo nas primeiras horas da segunda-feira, 26.

Na oportunidade, a vítima, que é casada há aproximadamente sete anos com o acusado, saiu de casa desesperada e com vários hematomas pelo corpo, inclusive ferimentos nos olhos e na boca. Após ser amparada por populares, a mulher seguiu para a delegacia, onde formalizou a denúncia.

Para comprovar as agressões, a vítima ainda passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal de Arapiraca, que atestaram a violência sofrida pela vítima que, em outra oportunidade, chegou a perder o baço após ser agredida pelo companheiro, com quem tem um filho pequeno.

Ainda segundo as informações sobre o caso, após tomar conhecimento do crime, guarnições da Polícia Militar em parceria com a Polícia Civil efetuaram a prisão do acusado, que recebeu voz de prisão e foi encaminhado ao Presídio Militar, localizado na capital alagoana.

Em seu depoimento, a vítima relatou que as agressões eram constantes e que não aguentava mais viver dessa forma, sendo espancada quase que diariamente.

Atendendo ao pedido da Promotoria de Justiça, o magistrado Vinícius Garcia homologou o auto de prisão em flagrante e decretou a prisão preventiva do acusado que trabalha no município pernambucano de Bom Conselho, como Policial Militar, e é proprietário de uma academia de musculação em Porto Real do Colégio.

O acusado, através de sua defesa, se manifestou dizendo que “em momento algum pretendia atentar contra a sua companheira e que assim agiu apenas para se defender dos inúmeros arranhões, tapas e chutes perpetrados por ela, ocasionados por discussão envolvendo o pai do autuado. Disse que a companheira “encontrava-se num estado de descontrole elevado”. Ressaltou, ainda, que, em liberdade, passará a residir com seus pais, não mais na residência que vivia com a companheira”.

A Polícia Militar do estado de Pernambuco acompanha o caso.

por Redação

AquiAcontece.com.br © 2016 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do AquiAcontece.com.br.