13 Janeiro 2022 - 14:08

Equilíbrio financeiro de Aracaju assegura recursos para investimentos em 2022

Secom/PMA
Obra de infraestrutura do bairro Japãozinho

Marcada pelas incertezas da pandemia, que ainda está em curso, a economia, mesmo com a retomada das atividades, ainda apresenta instabilidade em todo o país. Para este ano, o desafio da gestão pública é lidar com a inflação em alta e buscar meios de garantir à população a devida manutenção dos serviços, sobretudo aqueles considerados essenciais, como a saúde. Em Aracaju, o equilíbrio financeiro conquistado nos últimos anos pela Prefeitura assegura um conjunto de investimentos para 2022.

A avaliação do secretário municipal da Fazenda, Jeferson Passos, é de um começo de ano mais cauteloso, levando em consideração o cenário atual, no entanto, com expectativa de que as previsões pessimistas do contexto nacional não se concretizem, principalmente por Aracaju ter conseguido honrar os compromissos firmados junto à população.

“O cenário de bastante instabilidade, em 2021, nos pede muita cautela neste ano. A previsão da inflação para 2021 era entre 3,5% e 4,5%, mas encerramos o ano em torno de 10%, então, isso traz uma pressão enorme sobre os gastos públicos no ano que se inicia. Para 2022, há uma previsão de inflação relativamente alta, combinada com uma perspectiva de baixo crescimento econômico, que já foi sinalizada pelo Banco Central como sendo de, no máximo, 1%. A gente espera que essas previsões mais pessimistas não se concretizem porque isso traz impactos para a arrecadação do Município”, explana o secretário.

Numa análise geral, o gestor da Fazenda ressalta que a pandemia afetou as finanças públicas, provocando uma queda acentuada das receitas próprias do Município no ano de 2020, o que forçou o aumento das despesas com saúde, assistência social, limpeza pública e um esforço adicional para reduzir outras despesas em áreas menos prioritárias, naquele momento, tudo isto de forma que não retornasse à situação de desequilíbrio fiscal encontrada em 2017.

“Em 2021, a situação continuou delicada, mas com uma intensidade um pouco menor porque iniciamos um processo de recuperação das receitas próprias do Município. Mas a pressão pelo aumento das despesas provocadas pela segunda onda da pandemia continuou alta. Apesar dos desafios, encerramos o ano de 2021 em situação de equilíbrio, honrando com o pagamento dos salários dos servidores e dos fornecedores, inclusive, agora no final do ano com a antecipação do pagamento de dezembro e do 13º salário. O programa de investimentos não sofreu qualquer tipo de atraso e o Planejamento Estratégico do Município vem sendo executado”, asseverou Jeferson.

O aumento dos preços que está sendo sentido de forma generalizada pela sociedade também é sentido pelo poder público e, conforme o secretário, o orçamento para 2022 foi elaborado e aprovado pela Câmara Municipal dentro desse cenário. “Mas cabe destacar que esse cenário é muito dinâmico, então, vamos iniciar o ano de alerta e a avaliação que faremos no primeiro quadrimestre, no mês de abril, será essencial para nos guiar ao longo do resto do ano em relação às nossa possibilidade e ao que está planejado”, frisou.

Ainda com as devidas precauções, as perspectivas para 2022 têm importantes respaldos. De acordo com Jeferson, parte significativa do que foi planejado pela Prefeitura já tem seus recursos assegurados, principalmente por meio das operações de crédito que foram possíveis graças ao equilíbrio fiscal que foi alcançado.

"Então, teremos muitas novidades e entregas, em 2022. O desafio da pandemia ainda não acabou. Com suas ondas, ela obriga o poder público a tomar decisões céleres, é necessário atender a população, montar estruturas, disponibilizar serviços, contratar profissionais, tudo isso implica em aumento de despesas. No entanto, vamos encarar este ano com bastante expectativa. Iniciamos com cautela, mas torcendo que seja um ano melhor que 2021 e 2020”, concluiu Passos.  

por Agência Aracaju

Comentários comentar agora ❯