15 Setembro 2021 - 08:20

Funarte seleciona compositores e obras musicais para Bienal de Música Contemporânea

Funarte
Bienal de Música Brasileira Contemporânea

Estão abertas, até o dia 24 de setembro, as inscrições para a chamada pública que selecionará compositores e obras musicais para integrarem a XXIV Bienal de Música Brasileira Contemporânea. Promovida pela Fundação Nacional das Artes (Funarte), autarquia vinculada à Secretaria Especial da Cultura, a seleção premiará 48 obras com R$ 1,5 mil. Podem concorrer os autores brasileiros, ou domiciliados no país pelo menos há três anos, que tenham composto peças musicais a partir de 2017 e que não tenham sido contempladas em seleções anteriores do evento.

De acordo com o Secretário Especial da Cultura, Mario Frias, o nosso objetivo é popularizar a cultura brasileira. “Estamos focados em promover a nacionalização da nossa cultura, o fomento para os mais variados artistas, além de incentivar as empresas e os profissionais locais, levando mais emprego e renda a todas as regiões do País”, disse o secretário.

Ao todo, o edital distribuirá R$ 500 mil destinados aos direitos autorais e à utilização das partituras dos selecionados. É importante se atentar, que junto à inscrição, os interessados deverão anexar a partitura, em arquivo digital (PDF), com o nome do autor e a data de composição –, além de arquivos de áudio e documentos (material listado no texto da chamada). Esse conjunto, com as declarações devidamente preenchidas, deve ser enviado pelo candidato para o e-mail [email protected], identificando a mensagem como “XXIV BMBC – AUTOR – TÍTULO DA OBRA”.

Segundo o Centro da Música da Funarte, responsável pelo programa, a XXIV Bienal, que acontecerá entre os dias 14 e 21 de novembro de 2021, homenageará compositores “que se tornaram referência na música brasileira contemporânea, assim como foi feito nas edições passadas”. A expectativa é de que o resultado da seleção seja divulgado no próximo dia 8 de outubro.

A BIENAL - A Bienal de Música Brasileira Contemporânea foi criada por Edino Krieger e Myrian Dauelsberg, em 1975, inspirada nos dois Festivais de Música da Guanabara, realizados em 1969 e em 1970, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. As três primeiras bienais foram organizadas pela Sala Cecília Meireles e, a seguir, assumidas pela Funarte, quando Krieger dirigia o então Instituto Nacional de Música da Fundação.

 Desde o lançamento do programa, foram realizadas 23 edições, sem nenhuma interrupção. Nessas 23 bienais foram apresentadas cerca de 1.800 obras, sendo 1.002 delas em primeira audição. Em todos esses anos, as bienais possibilitaram a participação de mais de 472 compositores, muitos deles, jovens, o que representa renovação de nomes – de vários pontos do Brasil.

por Ministério do Turismo

Comentários comentar agora ❯