24 Janeiro 2020 - 17:24

Startup promove arte e empreendedorismo em Santa Luzia do Itanhy

Movidos pela paixão de desenhar, há quatro anos, nasceu a Startup ‘Casa do Cacete’, com o objetivo de fomentar a arte e estabelecer um diálogo com o mundo sem fronteiras. “Aliás, aí está a origem do nosso nome, pois aqui em Sergipe quando falamos ‘é lá na casa do cacete’ nos referimos a um lugar muito longe. Com esse novo olhar sobre nós mesmos, sobre o nosso manguezal e suas lendas, cores e cheiros, nos reconhecemos em cada canto da Mata do Crasto. Queremos, com o nosso trabalho, pensar em parcerias que possibilitem a reflexão sobre a preservação do ecossistema manguezal e colaborar com o desenvolvimento social e econômico de Santa Luzia do Itanhy”, revela o ilustrador natural de Santa Luzia do Itanhy, Genisson Cardoso, membro do Coletivo Casa do Cacete (CDC).

A CDC é composta por ilustradores capacitados pelo projeto Arte Naturalista, uma ação de economia criativa e educação ambiental desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa em Tecnologia e Inovação (IPTI), no município de Santa Luzia do Itanhy, em Sergipe, que recebe apoio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec). “A ideia surgiu depois que participamos de um curso promovido pelo IPTI sobre empreendedorismo e economia criativa. No final da oficina nos reunimos e idealizamos o coletivo Casa do Cacete. Vimos que poderíamos, através da arte, gerar renda, dar oportunidade e desenvolver nossas habilidades artísticas”, conta o artista Matheus Glaudiston.

Inspiração

Genisson Cardoso revela ainda que o horizonte da Orlinha do povoado Castro, os crustáceos, a fauna e a flora, e o pôr do Sol servem como inspiração para a confecção das estampas. “Afinal, convivemos com esses elementos desde pequenos e poder expressar nossa arte através desses ambientes é gratificante e prazeroso”, pontua.

A arte da Casa do Cacete tem rompido fronteiras e está sendo vendida, inclusive, em Nova Iorque. A iniciativa surgiu quando uma empresária americana, proprietária de uma loja colaborativa na cidade, conheceu o trabalho dos jovens e os convidou para expor e vender camisas ilustradas em sua loja. “Ver que o nosso trabalho estampado nas camisas e sendo vendidas em Nova Iorque é uma honra. Estamos gerando renda, inspirando jovens, incentivando a economia local e, principalmente, vivendo do nosso sonho. E o mais bacana é que este trabalho é um incentivo não só para nós que fazemos parte desse coletivo, como para os outros jovens de Sergipe”, completa Genisson.

Ele reforça que os jovens sergipanos daquela região, que não tinham muitas expectativas, podem hoje acreditar nos seus sonhos graças ao trabalho que é desenvolvido por meio do IPTI. “Eu até o ano passado, não sabia o que pensar ou idealizar para o meu futuro, pois estamos longe dos centros urbanos e das oportunidades. A dificuldade é muito maior e recheada de obstáculos, fazendo com que a gente acabe desistindo. Eu sou exemplo fui me inscrever no curso do IPTI, sem esperança e com apenas o apoio da minha mãe, mas hoje, quero incentivar e estimular esses adolescentes que estão cheios de energia para se expressar, e a Casa do Cacete e o IPTI estão aí para nos unir e mudar essa realidade”, ressalta.

Jussara Alves que é responsável pelo acompanhamento técnico do contrato de gestão entre a Sedetec e o IPTI observa que as tecnologias sociais desenvolvidas pelo IPTI, com a participação da Sedetec, tem possibilitado o protagonismo dos jovens envolvidos nas ações empreendedoras. “Sem dúvidas, a Casa do Cacete é um bem sucedido exemplo de inovação, empreendedorismo e transformação social”, afirma.

Novos Talentos

O trabalho do coletivo Casa do Cacete é contínuo e já colhe frutos positivos com novos talentos que participam da iniciativa. “O pequeno Nino Santos, de nove anos, tem nos surpreendido. É mágico ver a alegria dele em folhear os livros e ter o contato com a arte através dos artistas, como, por exemplo, Van Gogh. Nino fez uma releitura de uma famosa tela do artista, deixando todos admirados com seu talento e desenvoltura”, finaliza Genisson.

Para conhecer o trabalho dos jovens de Santa Luzia do Itanhy e o projeto Casa do Cacete, acesse o site https://www.casadocacete.com/colecoes. 

por Agência Sergipe

AquiAcontece.com.br © 2016 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do AquiAcontece.com.br.