07 Abril 2020 - 12:15

Transporte de passageiros de trens entre as estações de Bom Parto e Bebedouro pode custar até R$ 435 mil por mês

Divulgação
Viagens são interrompidas antes dos trens e VLTs chegarem à Estação Mutange, por causa da instabilidade do solo na região

Após a suspensão da linha férrea do Mutange, devido à instabilidade do solo na região, a Braskem vai custear o transporte gratuito dos passageiros de trens e Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) entre a Estação Bom Parto e a Estação Bebedouro, onde as viagens são interrompidas para evitar a área de risco. Para isso, foi estabelecido um teto de gastos no valor de R$ 435 mil mensais. A informação foi divulgada no Diário Oficial do Município (DOM) nesta terça-feira (7).

Segundo a publicação, foi firmado um acordo entre a empresa, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) e a Companhia Brasileiras de Trens Urbanos (CBTU) para a contratação de ônibus que vão levar os passageiros de uma estação para outra, para que eles possam continuar a viagem sem custos.

A Braskem ficou responsável pelo serviço porque a suspensão da Estação Mutange foi provocada pela instabilidade no bairro de mesmo nome, além do Pinheiro, Bebedouro e Bom Parto, causada pela extração de sal-gema, realizada pela empresa, como concluiu o Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

Cabe à SMTT elaborar um plano apresentando o melhor custo x benefício em um prazo de 15 dias. Será de responsabilidade da SMTT contratar o transporte de forma emergencial para atender às necessidades dos usuários, custeado pela Braskem.

por Portal G1

Comentários comentar agora ❯