07 Dezembro 2018 - 08:20

Deputado eleito pelo PSL em Alagoas, cabo Bebeto tem prisão decretada

Divulgação
Decreto de prisão foi divulgado nesta quinta-feira (6) no Boletim Geral Ostensivo

O Comando Geral da Polícia Militar de Alagoas (PM-AL) decretou a prisão do deputado estadual eleito cabo Luiz Alberto Alves Teixeira, o cabo Bebeto (PSL-AL), por abandonar o posto e o serviço sem ordem superior em dois dias de trabalho. O decreto da prisão é de seis dias e foi divulgado nesta quinta-feira (6).

A reportagem do G1 entrou em contato com assessoria do cabo Bebeto, que disse que o policial e deputado estadual eleito está reunido com os advogados, onde estão analisando quais as medidas cabíveis diante da situação. Um pronunciamento sobre o fato deve ser feito por ele (veja nota na íntegra no final da reportagem).

Por meio de nota, a assessoria da PM informou que os casos aconteceram nos dias 6 e 20 de fevereiro de 2015 e que, segundo o Regulamento Disciplinar da Polícia Militar de Alagoas (RDPMAL), o ato é considerado de intensidade grave (veja a nota completa no final do texto).

O decreto foi assinado pelo Comandante Geral da PM, coronel Marcos Sampaio Lima.

A assessoria da PM falou ainda que o documento vale a partir da data de publicação no Boletim Geral Ostensivo, que foi feita nesta quinta (6), mas não informou onde o policial deve cumprir a pena de seis dias e se ele deve voltar ao serviço na corporação após o cumprimento da prisão.

O Cabo Bebeto foi eleito deputado estadual por Alagoas pelo Partido Social Liberal (PSL) com 31.573 votos, ficando na 12ª posição no ranking dos mais votados.

NOTA DA POLÍCIA MILITAR DE ALAGOAS NA ÍNTEGRA:

A Polícia Militar de Alagoas informa que foi divulgado hoje a aplicação de punição disciplinar de seis dias de prisão ao cabo Luiz Alberto Alves Teixeira. A punição disciplinar foi feita de acordo com a Solução de Processo Administrativo Disciplinar, por ter o militar praticado condutas previstas Regulamento Disciplinar da Polícia Militar de Alagoas (RDPMAL). Conforme apurado, o cabo abandonou, nos dias 06/02/15 e 20/02/15, sem ordem do superior, o posto e o serviço que lhe cumpria executar, sendo estes serviços de Comandante de Guarnição da ROCOM 2 e de Permanência ao PM BOX do bairro da Pajuçara, respectivamente. Ao lhe ser assegurado o direito à ampla defesa e ao contraditório, exerceu-o, porém não justificou o ato transgressional de intensidade grave, a luz do RDPMAL. A Polícia informa ainda que o policial supracitado não foi o único punido por tais transgressões, mas as punições seguem rigorosamente o regulamento e as leis militares que regem a instituição.

NOTA DA ASSESSORIA DO PM E DEPUTADO ELEITO, CABO BEBETO:

O deputado estadual eleito, Cabo Bebeto (PSL-AL), está reunido com seus advogados analisando quais as medidas cabíveis perante essa situação. Ele declarou que, posteriormente, vai emitir um comunicado à imprensa e à sociedade sobre o fato.

por Redação com G1

Comentários comentar agora ❯