15 Fevereiro 2020 - 21:11

Custodiadas do Presídio Santa Luzia terão acesso a curso de informática básica

Para ampliar as oportunidades de inserção de custodiados no mercado de trabalho, a Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) e a Secretaria da Fazenda de Alagoas (Sefaz) celebraram, nessa quinta-feira (13), uma parceria com o objetivo de capacitar 160 custodiadas do Estabelecimento Prisional Feminino Santa Luzia em informática básica.

Os gestores das pastas se reuniram, na sede da Sefaz, para alinhar os detalhes do projeto “Mulheres na Rede”, ação pioneira que vai possibilitar a montagem de um laboratório de informática no Presídio Santa Luzia. Com a capacitação, as oportunidades de inserção social das custodiadas serão ampliadas, contribuindo, assim, com a diminuição da reincidência criminal.

Por meio da cessão de computadores, por parte da Sefaz, e da disponibilização dos profissionais para ministrar as aulas no laboratório de informática da unidade prisional, por parte da Seris, o projeto de capacitação continuada vai propiciar a inclusão digital das reeducandas, preparando-as para o mercado de trabalho.

A secretária Especial do Tesouro Estadual, Renata dos Santos, conheceu o projeto elaborado pela Seris e reiterou o compromisso da Sefaz no tocante à responsabilidade social. “O projeto é fantástico. Estou encantada. Acredito na ressocialização, mas sei que, para que isso aconteça, a capacitação e as oportunidades são necessárias. Fico honrada em contribuir com o ‘Mulheres na Rede’, e espero que este seja o início de uma grande parceria”, disse.

Já a gerente do Presídio Santa Luzia, policial penal Andréa Rodrigues, destacou que o laboratório de informática será uma importante ferramenta para melhorar a condição de vida das reeducandas, graças à aquisição de conhecimento. “As custodiadas estão ansiosas por essa oportunidade. Já temos o espaço da sala reservado, e acredito que, em 90 dias, o laboratório já estará em pleno funcionamento”, afirmou.

O processo de adequação do espaço físico do laboratório de informática será realizado pela Assessoria Técnica de Engenharia e Arquitetura da Seris. As aulas de informática básica serão desenvolvidas na modalidade de ensino presencial, utilizando técnicas como exposição dialogada, lista de tarefas e aulas práticas, com carga horária total de 60 horas/aula e início previsto para o mês de maio. Ao término do curso, será realizada uma atividade prática para avaliar o nível de aprendizagem das alunas.

Além do secretário de Ressocialização e Inclusão Social, coronel Marcos Sérgio de Freitas, e da secretária Especial do Tesouro Estadual, Renata dos Santos, também participaram do encontro a assessora de Governança e Transparência da Seris, policial penal Fabiana dos Santos, a chefe do Núcleo Ressocializador da Capital, policial penal Larissa Vital, e a subchefe do Presídio Santa Luzia, policial penal Alessandra Cavalcante.

Ensino Superior – Outro benefício gerado pela criação do Laboratório de Informática é a possibilidade de acesso a cursos de nível superior na modalidade de Educação a Distância (EAD). Agora, mais de 20 reeducandas que possuem ensino médio completo ou superior incompleto poderão dar continuidade aos estudos por meio desta ferramenta.

“Este projeto representa um incentivo para a nova pessoa que estou batalhando para me tornar. Posso dizer que estou reaprendendo a viver e a ter um novo olhar sobre as coisas. Parei de estudar no sexto período do curso de Direito, e ter a oportunidade de continuar a estudar, mesmo que seja à distância, é muito importante para que eu possa me recolocar no convívio em sociedade”, afirmou a custodiada Silvana Monteiro, uma das reeducandas que serão beneficiadas com o projeto.

por Agência Alagoas

AquiAcontece.com.br © 2016 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do AquiAcontece.com.br.