Luiz Paulo Reis Galvão

Luiz Paulo Reis Galvão

Médico Gastroenterologista e Endoscopista

Postado em 21/08/2019 07:00

O Xaxim e o Bicho Homem

Na varanda do apartamento uma Samambaia queixosa num jarro de barro. Angustiada querendo inchar suas raízes freiadas pelo vaso duro. Comprei 3 xaxins para ela. Xaxins são feitos de troncos de samambaias selvagens de grandes dimensões. Esses troncos são compostos de suas próprias raízes entrelaçadas. Eles são cortados, torneados e fatiados gerando os xaxins que a seguir são escavados e se transformam em jarros . Neles se coloca a terra e nela a mudinha de samambaia, cujas raízes vão se entrelaçando com as raízes da planta selvagem que morreu para gerar os xaxins. Na embalagem, tinha escrito sementeira Serra do Mar” – São Paulo Brasil.Um deles tinha um furo na embalagem, e estava úmido. Plantei uma muda em cada um. As mudas começaram a se desenvolver. No xaxim que viera úmido percebi um broto verde do lado de fora, diferente da que plantei . Ai entendi. Era um filhote da velha samambaia mãe, que morrera para gerar o xaxim lá na serra do mar. Como estava úmido e semi-aberto, possibilitou o nascimento do broto. Cortado, industrializado e transportado por tantos quilômetros, nascera da grande sabedoria da mãe natureza. Aquilo não era apenas um xaxim com um broto de samambaia, mas a prova da coerência do universo em seus milhares, milhões de anos de existência. A mesma coerência que promove o nascer e o por do sol sempre nas mesmas horas de acordo com as estações. Que faz o ciclos das marés e o nascer da lua em horários matematicamente previsíveis. A mesma coerência da força da gravidade que mantem os mares e oceanos sempre nos seus lugares, quando poderiam cobrir facilmente os continentes em poucos minutos.Quer o homem queira ou não mesmo detendo todos os avanços da tecnologia, uma castanha caída no solo gerará uma arvore frondosa que produzirá cajus exatamente iguais ao da castanha que o gerara. Tudo escrito no código genético com uma precisão matemática .A organização das abelhas no cortiço. O acasalamento, o mel, a leveza do vôo, a rainha, a hierarquia, a polinização , as flores, as folhas, a fotossíntese, o oxigênio que nos mantem vivos, tudo numa gigantesca harmonia de forças. Os animais que parem sozinhos seus filhotes, os limpam com a própria saliva, os amamenta e os defende de todo mal. Tudo isso posto fica a indagação. Por que o bicho homem, único dotado de inteligência superior é o único que fere e desafia essa grandiosa coerência universal? Em busca de objetivos “eunucos” tenta interferir no fluxo tranquilo do Universo, maculando a agua, a terra, o ar em troca de dinheiro, prestigio, e outras “comorbidades” . No parque vi formigas organizadas em filas carregando fragmentos de folhas para o formigueiro para prover o estoque de alimentos para a prole. São ordeiras, organizadas, coerentes, regulares e responsáveis. E são apenas formigas... O bicho homem se encastela no poder e na ostentação em atitudes discriminatórias para com o semelhante por razoes de cor, status social, e outras diferenças. Se encastelam no poder como representantes do povo e ai fraudam, traem, se apropriam, se locupletam, se aproveitam, maculam, machucam, destroem e roubam em detrimento da saúde, educação, segurança e felicidade dos que os conduziram ao poder. O homem honesto é tido com um fraco, tacanho e de pouca percepção. Acorda cedo, trabalha o dia inteiro, paga os impostos, respeita a faixa de pedestres, paga em dia a prestação do carro e o plano de saúde para o salvar quando adoecer já que o dinheiro da saúde publica foi desviado pelos cidadãos “inteligentes”, perspicazes e que “sabem realmente das coisas”. Ou seja, são apenas “Tolos honestos”.Já vem de longe segundo Luiz Gonzaga: “Furaram os olhos do Assum Preto, pra ele assim cantar melhor”. Já não pode mais voar por que está cego e canta mais, porque chora, pede socorro.Na praça em frente ao meu predio todo dia chegavam os pombos e as crianças que brincavam no parquinho davam miolo de pão e pipoca para eles, que alegremente comia e depois voavam felizes. Num domingo mais de 20 estavam mortos na praça. Um morador os envenenou porque poderiam eventualmente provocar doenças. As crianças choravam inconsoláveis. Deu jornal: 1.Atirador mata numa boite 56 pessoas que ele não conhecia. 2. Equipe do SAMU inclusive medico, recebe propina para aplicar medicação para piorar a situação do paciente, para justifificar sua remoção para UTI particular. Voltando a nossa varanda as duas samambaias cresceram num mesmo xaxim e num recanto do lado de fora , junto ao ar condicionado um Bem-te-Vi iniciou a construção de um ninho em um fim de tarde. Nele pôs os pequenos ovos que em pouco tempo eclodiram gerando filhotes. A mãe trazia alimentos ao amanhecer e no fim de tarde para aquelas pequenas criaturas que boquiabertas, esperavam o “socorro” materno. Também num fim de tarde, já maiores, voaram em família para construir novos ninhos por ai. Apenas um bando de pássaros a mais? Não, é a coerência monumental do universo. E o bicho homem continua por ai com sua arrogante prepotência pisoteando a natureza, a vida em troca da mais valia. Para onde irá? Em busca de que? Terá escolhido o destino dos dinossauros? A extinção? Vamos pensar. Pensar…Pensar…

Comentários comentar agora ❯