Alexandre Cedrim

Alexandre Cedrim

Administrador de Empresas e Consultor Organizacional

Postado em 08/05/2019 10:16

O melhor caminho

Divulgação
O melhor caminho
José Roberto Ferro, presidente do Lean Instituto do Brasil

José Roberto Ferro, presidente do Lean Instituto do Brasil, que tem como missão “melhorar as organizações e a sociedade através da prática do lean” (modelo de gestão inspirado no Sistema Toyota) formulou cinco questões sobre o desenvolvimento econômico e riqueza dos municípios, porém sem as respectivas respostas.

Entre as cinco, todas bastante interessantes, escolhi duas por entender que parecem que foram formuladas para o nosso município: 1) quais as atividades econômicas atuais mais importante? 2) qual é a “vocação” e força econômica atual do município?

Para tentar responder a primeira questão é preciso saber qual a atividade econômica atual que proporciona mais recursos financeiros (dinheiro) para o município e traz mais renda, mais emprego, mais impostos e mais circulação de dinheiro.

Para uma resposta consistente, o município deve ter uma base de dados que informe, com a maior exatidão possível, qual foi o faturamento da agricultura, da indústria, do comércio e da prestação de serviços e suas respectivas arrecadações tributárias, com também informações sobre a geração ou diminuição dos postos de trabalhos de cada atividade. Deve-se, também, ter conhecimento qual o destino da receita financeira destes segmentos, se ela é distribuída na localidade ou remetida para outros municípios onde estão sediadas as matrizes das organizações que operam no município.

Conhecendo-se qual o segmento atual mais importante para a economia do município, será necessário saber os vetores que comporão a resposta da segunda questão.

Vocação é o sentimento da população sobre qual segmento econômico poderá lhe proporcionar melhoria da qualidade de vida e força econômica é a potencialidade de desenvolvimento mais rápido das condições necessárias para a instalação e desenvolvimento de empresas que atuam em um segmento específico.

O primeiro vetor da força econômica ou a potencialidade de desenvolvimento é a infraestrutura, que de acordo com Rodolfo F. Alves Pena, é o conjunto básico que fornece as condições materiais mínimas necessárias a qualquer empreendimento público ou privado de interesse particular compartilhado: sistema de transporte, telecomunicações, energia, saneamento, gás, presença de instituições de ensino e de saúde e segurança.

O segundo vetor é a estrutura sistêmica existente e que tenha melhores condições para realizações de melhorias mais rápidas. Especificamente no segmento industrial é esta estrutura que atrai investidores e é composta de: distrito industrial (com a infraestrutura necessária ao segmento), incentivos fiscais, mão-de-obra qualificada, acesso as vias de escoamento da produção.

Já a estrutura sistêmica que atrai investidores do setor de turismo (serviços) é diferente, pois tem que ser alicerçado em: 1) inventário turístico composto dos atrativos naturais (hidrografia, clima, paisagem natural, fauna e flora) e inventário artificial (atrativos culturais, paisagem cultural); 2) hospedagem, alimentação, atrações artísticas, serviços de apoio; 3) mão de obra qualificada e 4) população comprometida com o bem estar dos visitantes (vocação).

Já o desenvolvimento segmento comercial depende de local de concentração das empresas do setor: estacionamentos, diversificação e principalmente a origem do volume monetário que circula na localidade que pode ser de três fontes principais: indústria, turismo, transferência de órgãos localizados em outras localidades ou de compradores residentes em municípios de seu entorno (comércio regional).

O senso de urgência do desenvolvimento municipal aponta para que as lideranças locais discutam e escolham a atividade econômica que terá prioridade dos investimentos, inicialmente públicos, considerando a que tenha melhor estrutura sistêmica atual e possa trazer mais rapidamente a vinda de novos investidores privados e assim responder, no menor espaço de tempo, os desejos da população com mais e melhores empregos e melhoria da educação, saúde e segurança.

Esta escolha não deve provocar nos empresários o sentimento de exclusão em planos de desenvolvimento, pois os segmentos não priorizados também tem importância, mas o único que estimula o crescimento dos outros é o turismo.

Como a maior riqueza de todas as publicações são as opiniões, ficamos na expectativa dos comentários dos leitores.
 

Comentários comentar agora ❯

  • Eduardo Regueira A matéria é de suma importância para o nosso município,maior complicador é justamente a gestão pública que nao promove um amplo debate com a sociedade para discutir o futuro do nosdo município. Muito importante traçar o perfil do nosso munícipio e para isto temos que ter todos os indicadores.
  • Ismael Das três fontes citadas acima, a que mais acredito ser primordial é a de atrair industrias para nossa região, estamos com um índice altíssimo de desemprego, e o refúgio é aceitar as meias condições que alguns pontos comercias oferecem ou o toma lá dá cá da politicagem.
  • Claudio Parabéns pela publicação, No meu entendimento o grande entrave do Município de Penedo ainda è a Gestão Publica, que tem como principal objetivo se manter no poder quem ganha com meia duzia sendo beneficiado. O conteúdo da publicação é exatamente o inverso, desrespeito a política que liberta.